PRECONCEITO

          O homem tem natureza divina, mas quando não tem experiência desta natureza se torna egoísta, intolerante, preconceituoso.

        Nossa finalidade aqui na terra é evoluir, auto- aperfeiçoar, autorrealizar.

        Buscamos ajuda de grandes mestres para nosso crescimento interior.

        Eles nos ensinam:

        – Somos filhos de Deus, portanto irmãos de todos os homens.

         – É hipocrisia falar de Deus e nosso amor por Ele e depreciar o próximo por sua raça, credo, nacionalidade, gênero, filiação política ou posição econômica.

        -Nenhum complexo de superioridade ou inferioridade deve imperar na zona da espiritualidade.

        – Ao conectar o nosso Eu divino, saímos da consciência negra, rumo à consciência pura e cósmica.

Para alguém que se encontra vítima de preconceito o Professor Huberto Rohden diria para AFIRMAR A SOBERANIA DA SUA SUBSTÂNCIA DIVINA SOBRE TODAS AS TIRANIAS DAS CIRCUNSTÂNCIAS HUMANAS.

BEM-AVENTURANÇAS

Comentário de Huberto Rohden, do livro “O Sermão da Montanha”:

          Quem lê ou ouve estas exclamações de entusiasmo místico num estado de profanidade, ou mesmo de mera intelectualidade, nada sentirá da sua sacralidade; possivelmente as achará absurdas e revoltantes. Imagine-se: chamar felizes os pobres, os sofredores, os injustiçados, os famintos e sedentos, os que sofrem perseguição e difamação! Onde se ouviu maior paradoxo, mais revoltante sadismo, mais acerba ironia! Realmente, do plano horizontal do homem-ego, ninguém pode nem deve ler estas palavras, que brotaram das luminosas profundezas do homem-Eu, do homem-crístico, e só podem ser compreendidas e saboreadas da perspectiva de experiência mística da qual brotaram.

          É necessário que o leitor, antes de ler as Beatitudes, ponha-se no mesmo ambiente interior em que elas foram vividas. Enquanto o homem não estiver devidamente sintonizado com a alma divina do Universo, não estará em condições de assimilar as Bem-aventuranças do Cristo, carta magna do Evangelho.

A PRÁTICA DA MEDITAÇÃO POSSIBILITA A DEVIDA SINTONIZAÇÃO CÓSMICA.

SABE POR QUE VIVES!

(Trechos do livro “Imperativos da Vida” de Huberto Rohden)

        O homem sem ideal rasteja penosamente pelas tediosas baixadas da vida – o homem empolgado por uma grande causa cria asas e voa jubilosamente por cima de todos os obstáculos.

        A mais dura das vidas torna-se suave quando o homem tem plena certeza porque vive e conhece o caminho que trilha.

        Vida enfadonha e intolerável é somente uma vida sem ideal nem finalidade.

        O seguro morre de velho, mas o aventureiro vive em perpétua juventude.

        Basta-me um mínimo de segurança – mas, tenho necessidade de muita liberdade de sonhar…

        A excessiva segurança me faz envelhecer em plena juventude – a vasta liberdade me garante mocidade em plena velhice…

        Prefiro ser um velho jovem do que um jovem velho…

        Sabe, pois meu amigo, porque vives – e viverás intensamente…

Jubilosamente…

Exultantemente…

DEUS

Einstein acreditava no mesmo Deus de Spinosa:

“DEUS É A ALMA DO UNIVERSO E O UNIVERSO É O CORPO DE DEUS”.

Leiam o livro: “Einstein, o enigma do universo”  de Huberto Rohden.

* * *

Nota: Huberto Rohden conviveu com Einstein na Universidade de Princeton – USA

NOVEMBRO

UMA CARTA HISTÓRICA

Carta de

Lincoln ao professor do seu filho, em 1830.

Advogado e político, Lincoln foi 16º Presidente dos EUA – 1861-1865.

Lincoln é um exemplo de que um político pode ter espiritualidade.

“Caro professor, ele terá de aprender que nem todos os homens são justos, nem todos são verdadeiros, mas, por favor diga-lhe que, para cada vilão há um herói, que, para cada egoísta, há também um líder dedicado.

Ensine-lhe, por favor, que para cada inimigo haverá também um amigo. Ensine-lhe que mais vale uma moeda ganha que uma moeda encontrada.

Ensine-o a perder, mas também a saber gozar da vitória; afaste-o da inveja e dê-lhe a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso.

Faça-o maravilhar-se com os livros, mas deixe-o também perder-se com os pássaros no céu, as flores no campo, os montes e os vales. Nas brincadeiras com os amigos, explique-lhe que a derrota honrosa vale mais que a vitória vergonhosa.

Ensine-o a acreditar em si, mesmo se sozinho contra todos.

Ensine-o a ser gentil com os gentis e duro com os duros.

Ensine-o a nunca entrar no comboio simplesmente porque os outros também entraram.

Ensine-o a ouvir a todos, mas, na hora da verdade, a decidir sozinho.

Ensine-o a rir quando estiver triste e explique-lhe que, por vezes, os homens também choram.

Ensine-o a ignorar as multidões que reclamam sangue e a lutar sozinho contra todos, se ele achar que tem razão.

Trate-o bem, mas não o mime, pois só o teste do fogo faz o verdadeiro aço.

Deixe-o ter a coragem de ser impaciente e a paciência de ser corajoso.

E transmita-lhe uma fé sublime no Criador e fé também em si, pois só assim poderá ter fé nos homens.

Eu sei que estou pedindo muito, mas veja o que pode fazer, caro professor.”

Abraham Lincoln, 1830.

 

O DOM DA CURA

“A um é concedido pelo espírito o dom da sabedoria; a outro o dom da ciência pelo mesmo espírito, a outro o dom da fé, pelo mesmo espírito, a outro o dom de curar doenças”…

(I Coríntios 12 -9)

        Joel Goldsmith, um simples comerciante em Honolulu, capital do Havaí, descobriu um dia que tinha o dom da cura. Aconteceu uma coisa estranha dentro de 36 horas.

        Uma freguesa lhe asseverou que ela seria curada se ele orasse por ela. Ele não sabia orar, mas ela, porém, teimava em repetir que seria curada se ele orasse por ela. Assim, Joel não pôde deixar de fazer o que a mulher pedia. Fechou os olhos e disse: “Pai, tu sabes que eu não sei orar, e menos ainda sei o que seja curar. Se há algo que eu deva saber, fala comigo”.

        E ouviu então, como se uma voz falasse com toda nitidez: “Não é o homem que cura”. Nada mais foi necessário. A mulher estava curada.

        Daí sucedeu vários pedidos de cura e Goldsmith orava… e as pessoas eram curadas. Então, algo o fez deixar os seu negócios e dedicar sua vida à cura pelo espírito.

        Toda a experiência, exercícios práticos que desenvolveu ao longo da vida Joel Goldsmith descreve no seu livro: “A Arte de Curar pelo Espírito”, que foi traduzido por Huberto Rohden.

        Muitos outros livros o autor escreveu.

        Amigos, nestes tempestuosos dias em que vivemos, A ARTE DE CURAR PELO ESPÍRITO, é um instrumento eficaz para vencer os desafios da imensa tragédia e insanidade humana.