A NOSSA SOCIEDADE

Este texto é da última página da primeira edição do livro Paulo de Tarso de Huberto Rohden. O livro foi escrito durante a 2ª guerra mundial. Imagine o que Rohden escreveria hoje! As últimas edições foram modificadas, mas é um livro que vale a pena ler.

QUE É SER FELIZ?

SEGUE O TEXTO DE HUBERTO ROHDEN – filósofo que tive a felicidade de conhecer.

Felicidade – é este o clamor de toda creatura.

Todo o resto é meio – somente a felicidade é um fim.

Ninguém deseja ser feliz para algo – quer ser feliz para ser feliz.

A felicidade é a suprema autorrealização do ser.

Que é ser feliz?

Ser feliz é estar em perfeita harmonia com a constituição do universo, seja consciente, seja inconscientemente.

A natureza extra-hominal é inconscientemente feliz, porque está sempre automaticamente em harmonia com o Universo.

Aqui na terra, somente o homem pode ser conscientemente feliz ou infeliz.

A natureza possui, por assim dizer, uma felicidade neutra, ou inconsciente – o homem pode possuir uma felicidade positiva ou uma infelicidade negativa. Com o homem começa a bifurcação da linha única da natureza; começa o estranho fenômeno da liberdade no meio da universal necessidade.

A felicidade, a alegria, a paz – são os frutos da Verdade Libertadora.

.… Continua a explicar em seus maravilhosos livros. 

PARTIDO OU UNIDO?

        PARTIDO veio do verbo partir que quer dizer desunir, separar, quebrar.

        Quando um grupo de pessoas se organiza com interesses comuns formam um partido e se separam do todo.

        Melhor seria se eles se unissem no todo, sem partir. A compreensão viria de se harmonizarem com a natureza humana. Cada um é uma célula de um uno como bem designa o termo universo.

        Etimologicamente falando a palavra é composta de uni+verso. Unidade na diversidade. É o termo que Rohden se baseia para a sua Filosofia Univérsica.

        A Nova Humanidade caminha para que haja uma unidade e não um partido.

        Que as novas gerações possam viver a cosmocracia – perfeita ordem social!

Íris

Observação: A sociedade das abelhas é um ótimo exemplo de cosmocracia. Estes maravilhosos insetos se guiam pelo instinto, enquanto que a sociedade humana perfeita se guiará  pela intuição. No livro Ísis Huberto Rohden, que foi apicultor 40 anos, faz uma analogia entre a organização das abelhas e a cosmocracia. 

NIETZSCHE, O ATEU MÍSTICO

Fonte: NIETZSCHE, O ATEU MÍSTICO

NIETZSCHE, O ATEU MÍSTICO

Por Huberto Rohden

Reproduzimos aqui o suspiro nostálgico que Nietzsche, o “ateu místico”, deixou entre os seus papéis, no princípio deste século (século XX):

 

Mais uma vez, antes de prosseguir caminho,

E olhar para frente,

Ergo, solitário, minhas mãos a ti,

A ti, a quem me refugio,

A ti, ao qual consagrei altares, solenemente,

Nas mais profundas profundezas do meu coração,

Para que, em todos os tempos,

Tua voz me chamasse novamente.

Gravada profundamente no meu altar,

Resplende a palavra: AO DEUS DESCONHECIDO.

Dele eu sou, e sinto os laços

Que me arrastam à luta,

Lá embaixo,

Que, embora eu fuja,

Me obrigam a servir-te.

Quero conhecer-te, ó Desconhecido!

Tu, que empolgas minha alma profundamente,

Que, qual tempestade, penetras minha vida,

Tu, o Inatingível, que és afim comigo.

Quero conhecer-te – quero até servir-te.

OS MESTRES

AGOSTINHO DE HIPONA

          No dia 28 de agosto de 430, enquanto lá fora, por entre fragor das catapulgas e aríetes e o vociferar da soldadesca vandálica, ruía por terra um mundo que parecia indestrutível, lá dentro, à penumbra duma cela paupérrima, se extinguia um dos maiores luzeiros do Cristianismo…

Contava Agostinho 76 anos de idade.

* * *

          Em 214 páginas de um livro, Huberto Rohden escreve a bela odisseia deste grande gênio espiritual: “AGOSTINHO”.