SABE POR QUE VIVES!

(Trechos do livro “Imperativos da Vida” de Huberto Rohden)

        O homem sem ideal rasteja penosamente pelas tediosas baixadas da vida – o homem empolgado por uma grande causa cria asas e voa jubilosamente por cima de todos os obstáculos.

        A mais dura das vidas torna-se suave quando o homem tem plena certeza porque vive e conhece o caminho que trilha.

        Vida enfadonha e intolerável é somente uma vida sem ideal nem finalidade.

        O seguro morre de velho, mas o aventureiro vive em perpétua juventude.

        Basta-me um mínimo de segurança – mas, tenho necessidade de muita liberdade de sonhar…

        A excessiva segurança me faz envelhecer em plena juventude – a vasta liberdade me garante mocidade em plena velhice…

        Prefiro ser um velho jovem do que um jovem velho…

        Sabe, pois meu amigo, porque vives – e viverás intensamente…

Jubilosamente…

Exultantemente…

DEUS

Einstein acreditava no mesmo Deus de Spinosa:

“DEUS É A ALMA DO UNIVERSO E O UNIVERSO É O CORPO DE DEUS”.

Leiam o livro: “Einstein, o enigma do universo”  de Huberto Rohden.

* * *

Nota: Huberto Rohden conviveu com Einstein na Universidade de Princeton – USA

NOVEMBRO

UMA CARTA HISTÓRICA

Carta de

Lincoln ao professor do seu filho, em 1830.

Advogado e político, Lincoln foi 16º Presidente dos EUA – 1861-1865.

Lincoln é um exemplo de que um político pode ter espiritualidade.

“Caro professor, ele terá de aprender que nem todos os homens são justos, nem todos são verdadeiros, mas, por favor diga-lhe que, para cada vilão há um herói, que, para cada egoísta, há também um líder dedicado.

Ensine-lhe, por favor, que para cada inimigo haverá também um amigo. Ensine-lhe que mais vale uma moeda ganha que uma moeda encontrada.

Ensine-o a perder, mas também a saber gozar da vitória; afaste-o da inveja e dê-lhe a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso.

Faça-o maravilhar-se com os livros, mas deixe-o também perder-se com os pássaros no céu, as flores no campo, os montes e os vales. Nas brincadeiras com os amigos, explique-lhe que a derrota honrosa vale mais que a vitória vergonhosa.

Ensine-o a acreditar em si, mesmo se sozinho contra todos.

Ensine-o a ser gentil com os gentis e duro com os duros.

Ensine-o a nunca entrar no comboio simplesmente porque os outros também entraram.

Ensine-o a ouvir a todos, mas, na hora da verdade, a decidir sozinho.

Ensine-o a rir quando estiver triste e explique-lhe que, por vezes, os homens também choram.

Ensine-o a ignorar as multidões que reclamam sangue e a lutar sozinho contra todos, se ele achar que tem razão.

Trate-o bem, mas não o mime, pois só o teste do fogo faz o verdadeiro aço.

Deixe-o ter a coragem de ser impaciente e a paciência de ser corajoso.

E transmita-lhe uma fé sublime no Criador e fé também em si, pois só assim poderá ter fé nos homens.

Eu sei que estou pedindo muito, mas veja o que pode fazer, caro professor.”

Abraham Lincoln, 1830.

 

O DOM DA CURA

“A um é concedido pelo espírito o dom da sabedoria; a outro o dom da ciência pelo mesmo espírito, a outro o dom da fé, pelo mesmo espírito, a outro o dom de curar doenças”…

(I Coríntios 12 -9)

        Joel Goldsmith, um simples comerciante em Honolulu, capital do Havaí, descobriu um dia que tinha o dom da cura. Aconteceu uma coisa estranha dentro de 36 horas.

        Uma freguesa lhe asseverou que ela seria curada se ele orasse por ela. Ele não sabia orar, mas ela, porém, teimava em repetir que seria curada se ele orasse por ela. Assim, Joel não pôde deixar de fazer o que a mulher pedia. Fechou os olhos e disse: “Pai, tu sabes que eu não sei orar, e menos ainda sei o que seja curar. Se há algo que eu deva saber, fala comigo”.

        E ouviu então, como se uma voz falasse com toda nitidez: “Não é o homem que cura”. Nada mais foi necessário. A mulher estava curada.

        Daí sucedeu vários pedidos de cura e Goldsmith orava… e as pessoas eram curadas. Então, algo o fez deixar os seu negócios e dedicar sua vida à cura pelo espírito.

        Toda a experiência, exercícios práticos que desenvolveu ao longo da vida Joel Goldsmith descreve no seu livro: “A Arte de Curar pelo Espírito”, que foi traduzido por Huberto Rohden.

        Muitos outros livros o autor escreveu.

        Amigos, nestes tempestuosos dias em que vivemos, A ARTE DE CURAR PELO ESPÍRITO, é um instrumento eficaz para vencer os desafios da imensa tragédia e insanidade humana.

SABEDORIA DA NATUREZA

FILOSOFANDO COM UM FILÓSOFO

Eu era uma criança tímida e introspectiva na escola. Uma professora me chamou carinhosamente de filósofa. E, anos depois, na escola da vida encontrei um verdadeiro filósofo; e daí, eu comecei a fazer jus ao apelido que minha professora me deu.

* * *

Assim dizia o filósofo:

Há séculos que terminou, para a humanidade-elite do ocidente o período da crença, que aceitava a realidade do mundo espiritual em virtude de testemunho alheio. A razão de ser da vida para uma humanidade espiritualmente infantil era a crença num Deus distante e futuro – era uma solução, embora precária e provisória.

Principiou então a era da ciência, que prometia ao homem o céu aqui na terra. Mas, se provou insuficiente – acabou por transformar a terra num inferno. Rádio, televisão, aviões supersônicos, etc, podem certamente dar certo conforto ao homem físico-mental, mas não podem resolver o problema central do homem espiritual.

Estamos agora na fronteira de um novo mundo, o período da sapiência. A sabedoria, a experiência própria e íntima do mundo divino e espiritual. Experiência esta que deve ser vivida e vivenciada agora pelo próprio homem, no reduto central da sua natureza.

A sapiência deve ser a Religião única e universal – não mais dependerá de tradições e revelações do passado. Não haverá mais crença nem descrença – mas, tão somente a sabedoria da experiência da própria Realidade divina.

* * *

Que possamos acender em cada um de nós a luz para que as trevas da ignorância possam desaparecer!