CRENÇA, CIÊNCIA, SENTIDO DA VIDA…

coracao

(Trecho de uma aula de Huberto Rohden dada em 02.06.1968 no Rio de Janeiro)

                Há quase quatro séculos, no fim da Idade Média e no início da Renascença, que a ciência, no seu entusiasmo juvenil, nos prometeu um céu aqui na terra. Quando o homem começou a pensar cientificamente, depois de ter rejeitado a crença teológica, foi-nos dito que não necessitávamos de nenhum céu depois da morte, nenhum céu no além e que céu era no aquém, era aqui mesmo na terra; e que a nossa ciência e técnica iria transformar o planeta terra num verdadeiro céu; e ninguém mais pensaria num céu depois da morte; bastava o céu antes da morte.

                Isto a ciência nos prometeu há quase quatro séculos. Não realizou a sua promessa. A terra não se converteu em nenhum paraíso; converteu-se num cemitério para muitos milhões e num inferno para outros milhões de sobreviventes.

                As últimas guerras mundiais provaram isto; a ciência e técnica foram postas a serviço da morte e do inferno. E se vier a 3ª guerra mundial, sobreviverão muito poucos aqui no inferno terrestre. Isto é o que a ciência conseguiu, porque a ciência é do ego e o ego é egoista e cruel.

                Às vezes anunciam que nós somos uma geração de homens muito humanitários. Sabemos já transplantar corações para que alguém sobreviva quando não tinham mais condições para isto. E os médicos estão de sobreaviso à espera de alguém que morra acidentado para lhe arrancar o coração ainda quente e transplantarem para o corpo de outro, como fizeram há pouco.  E pensam que este é um gesto muito humanitário que prova o nosso avanço.

                Ao mesmo tempo em que fazemos um transplante, estamos matando milhões em todas as frentes de guerra de hoje. E estamos impedindo de nascerem outros milhares e milhões porque as mamães não querem que nasçam. Milhões não podem nascer pelo egoísmo das mães; e milhões, em plena juventude, devem morrer pelo egoísmo dos governos.

                Esta é a nossa terra! Onde é que está o avanço da ciência na terra? Em face disto não podemos mais acreditar num céu trazido pela ciência, como nos foi prometido há mais de quatro séculos. Aqui vemos os cemitérios para milhões e inferno para os sobreviventes. Isto foi o que a nossa ciência e técnica conseguiram.

                De maneira que estamos quase com saudades da idade Média em que a gente acreditava mais numa razão de ser do que nos objetivos da vida. A ciência nos deu os objetivos da vida e vamos aceitar os objetivos da vida melhorados. Não nos deu a razão de ser.

                Pela ciência ninguém sabe de onde vem, para onde vai, porque está aqui, e o que deve fazer para realizar o seu destino; não o seu destino – ego, mas o seu destino de verdadeiro Eu. A ciência nos deixa diante de um ponto de interrogação. De maneira que muitos estão com saudades da Idade Média, do tempo da crença, do tempo em que nós tratávamos da nossa razão de ser.

2 responses to this post.

  1. Posted by Jorge Mendes Ferreira on 22/01/2017 at 15:00

    CIÊNCIA SEM CONSCIÊNCIA E NOSSA ALMA NÃO ALÇA VOO. NAMASTÊ GERAL.

    Responder

  2. Certamente!

    Responder

OBRIGADA A TODOS QUE VISITAM, LEEM E COMENTAM ESTE BLOG.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: