0 AUTO-SER – “EU SOU O QUE É”

A sarça ardente

Por Huberto Rohden – do livro: “Maravilhas do Universo”

          Quando Deus apareceu a Moisés na sarça ardente, ao pé do monte Horeb, como referem os livros sacros (Ex. 3, l SS), disse ele ao futuro condutor do povo de Israel:

“Eu sou o Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó. Vi a aflição do meu povo, no Egito, ouvi o clamor que levanta por causa da crueza dos intendentes das obras, e desci para o libertar e fazer passar desta terra para outra, boa e espaçosa, onde corre leite e mel. Eu te enviarei ao faraó para que tires do Egito os filhos de Israel, meu povo”.

          Moisés que, no longo silêncio do deserto de Midian, aprendera a sopear as paixões do coração e escutar a voz do Altíssimo, ouviu com pavor a extraordinária revelação e titubeou ante a grandeza da missão que lhe era confiada. Pediu credenciais que apresentar pudesse a um rei incrédulo e a um povo de dura cerviz.

          Disse então Moisés a Deus:

“- Quem sou eu que vá ter com o faraó e tire do Egito os filhos de Israel?… E, se eles me perguntarem qual o teu nome, que lhes responderei”?..

         Grande temeridade da parte de um mortal pedir o nome ao Ser inefável, ao grande Anônimo! Pedir que ele mesmo se defina, Ele, o Indefinível!

           “Tirou Moisés o calçado dos pés e cobriu o rosto com o manto” –  como que para aparar o choque da grande revelação, da definição da Divindade.

         E qual a resposta, lá do meio da sarça ardente? Que nome impôs Deus a si mesmo? O Onipotente? O Sapientíssimo? A Verdade? A Vida? A Beleza?…

         Tudo isto, é certo, é ele, mas tudo isto não passa de diversos aspectos da sua natureza. Nenhum destes qualificativos atinge o íntimo quê da sua essência.

Disse Deus a Moisés:

“Eu sou o que é. Dirás aos filhos de Israel: Aquele que é me enviou”. (1)

              Estranha, essa definição! Coincide o mais simples com o mais sublime.

         Deus é “o que é” — o auto-ser; quer dizer, aquele que é por si mesmo, por necessidade intrínseca, em virtude da sua própria essência metafísica. Deus não pode não ser — ao passo que todos os outros seres podem existir e não existir. São contingentes, e não necessários.

(1) “O que é”, em hebraico Yahveh.

 

One response to this post.

  1. Posted by AIRTON BARROS on 13/11/2015 at 10:50

    EU SOU.
    EU não sou nem SEROTONINA e nem CORTISOL. EU APENAS, SOU.

    Fica difícil compreendermos realmente a DEUS.

    Em um momento falamos e Entendemos claramente sobre EU SOU,
    em outro momento, desfazemos todo entendimento anterior, acreditando em conceitos a nós impingidos sobre o não Real Entendimento do EU SOU.

    Cremos ABSURDAMENTE no poder da SEROTONINA E DO CORTISOL, pergunto:
    Se Jesus acreditasse no poder da SEROTONINA E DO CORTISOL, teria realmente curado toda aquela gente? Não é assim que nos orienta JOEL GOLDSMITH?

    Responder

OBRIGADA A TODOS QUE VISITAM, LEEM E COMENTAM ESTE BLOG.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: