ESTÁ CONSUMADO

Está consumado

ENCERRANDO UMA MEDITAÇÃO DA SEXTA FEIRA SANTA –

(08/04/77 – 9h)

SANTUÁRIO DO SILÊNCIO

Huberto Rohden

 

            Mestre – há quase 2000 anos, divino Mestre, lá no alto do Gólgota em Jerusalém, tu todo ensanguentado na tua cruz…, tu disseste: “está consumado”. E nós estamos celebrando o aniversário deste dia e destas palavras:

“ESTÁ CONSUMADO PAI, EM TUAS MÃOS ENTREGO O MEU ESPÍRITO”.

Estava consumada a tua perfeita libertação. O teu ego humano muitas vezes queria impedir as glórias do teu Eu divino… Tinha medo do sofrimento. Pediu que passasse o cálice do sofrimento. Mas o teu eu divino respondeu:

“MAS NÃO SE FAÇA A MINHA VONTADE”- “FAÇA-SE A TUA VONTADE” – “do meu eu divino, meu Pai. Mesmo que eu beba o cálice do sofrimento até a última gota”.

E teu ego humano bradou:

“-MEU DEUS, MEU DEUS POR QUE ME DESAMPARASTE”?

Mas o teu eu divino o crístico logo respondeu:

Mas “PAI, EM TUAS MÃOS ENTREGO O MEU ESPÍRITO”. Está consumada a minha tarefa terrestre. A razão de ser da encarnação no meu verbo terminou hoje, às 3 horas da tarde, na sexta feira, antes da páscoa. Está consumada a minha missão. 

***

             Divino mestre, quando poderei eu dizer estas palavras? Está terminada a minha libertação – ao menos no estágio terrestre da minha evolução. Será que eu posso dizer tais palavras no fim da minha vida terrestre? Está consumado! Por enquanto eu tenho que dizer, está começado. Será que já posso dizer que está começada a minha libertação? Eu nem posso dizer que está principiada e começada; iniciada a minha libertação. Se ainda não iniciei a minha libertação, seja hoje no aniversário da tua consumação, o dia em que eu posso dizer: – estou começando a minha libertação.

Não te peço meu mestre, que me libertes dos meus inimigos, peço-te apenas que me libertes de mim mesmo. Não te peço que me libertes de tragédias, de desastres, de doenças e da morte. Não, isso são coisas externas que não afetam a minha soberania interna. Peço-te apenas, me libertes da tirania do meu próprio ego humano. E me ajudes a conquistar a soberania do meu eu divino. Isto eu te peço no dia da tua morte, e no dia da tua consumação terrestre… Que posso dizer: – pelo menos comecei hoje, na sexta feira santa comecei a minha libertação. Pelo menos não tenho mais fome de escravidão. Já comecei a ter fastio da minha velha escravidão. E o fastio da escravidão é o início ou pelo menos o prelúdio da libertação. Divino mestre, em nome da tua consumação na sexta feira santa, eu te peço, me dês força para que eu também possa dizer um dia:

– Está consumado. Pai em tuas mãos eu entrego o meu espírito!

OBRIGADA A TODOS QUE VISITAM, LEEM E COMENTAM ESTE BLOG.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: