NÃO PODEMOS LUDIBRIAR AS LEIS CÓSMICAS

rico e lazaro

O RICO AVARENTO E O POBRE LÁZARO

(Trechos da palestra de Huberto Rohden- aula 24 do curso 1980)

                Conta o Mestre de Nazaré o seguinte: “havia dois homens, um muito rico e outro muito pobre. Um de perfeita saúde e outro doente coberto de chagas. O ricaço morava num palacete maravilhoso, se banqueteava esplendidamente todos os dias, vestia dos tecidos mais caros daquele tempo, linho e púrpura. E se banqueteava esplendidamente todos os dias. Na entrada do palacete jazia um pobre chamado Lázaro”… Todo paraplégico, provavelmente porque ele nem podia arrastar até o palacete. Ficou lá jogado na entrada do palacete do ricaço olhando cair migalhas da mesa dele, mas como ele não se podia mover, não podia nem catar as migalhas que caiam da mesa. Morria de fome. Estava coberto de chagas… Estava pobre, faminto, coberto de chagas, mas estava jazendo a entrada do palacete do ricaço. Mas ninguém tinha importância com ele. O ricaço gozava a vida e não tinha que ver com os outros”.

…“e os dois morreram”, um certamente morreu de fome, o Lázaro, e o outro certamente de indigestão. Ambos foram enterrados. Os corpos físicos deles foram enterrados, mas eles continuaram a viver em corpo astral e aí vem história. Porque ninguém morre inteiramente quando morre o corpo material, mas vivem em outro corpo.

“Lázaro foi levado ao seio de Abraão”. Isto é um modo antigo de dizer que foi a um lugar de gozo, não diríamos ao céu que não é propriamente um lugar, é um estado de consciência. E o rico avarento que não se importou com o pobre, foi enterrado e soterrado na chama do inferno.

Agora quando dizemos inferno logo pensamos em coisa física. O inferno não é uma coisa física. Donde vinham estas chamas? Da consciência dele. Ele finalmente despertou para os remorsos de consciência de que nunca aconteceu durante a vida. Por quê? Ele era um pecador gozador, agora ele é um pecador sofredor. O pecador gozador não sofria e tinha tudo que queria. O pecador sofredor estava nas chamas do sofrimento. . Era pior do que chama física.

Quer dizer, ele não deixou de ser pecador, porque pelo fato de morrer ninguém deixa de ser pecador. Ele continua tão pecador como era antes, pecador em corpo astral. Não mudou nada. Este ricaço lá em baixo no sofrimento pede a Abraão que mande Lázaro, lá onde ele está e lhe refrigere ao menos a ponta da língua com um pouco de água, porque ele estava sofrendo horrores, sobretudo na língua astral. Mas lá de cima lhe veio a resposta. – “Não pode ser, há um abismo entre nós e vós. Nós não podemos transpor este abismo para lá e vós não podeis transpor este abismo para cá”.

…o nosso livre arbítrio existe tanto na vida presente como também na vida futura. Tanto em corpo material como em corpo astral, porque o livre arbítrio nada tem que ver com matéria e nada tem que ver com corpo astral. O livre arbítrio é um atributo da nossa alma, do nosso Eu central. O livre arbítrio é da nossa consciência. A nossa consciência não é material e não é astral, ela é mental e espiritual ao mesmo tempo. Então este rico avarento continuava a ser pecador, ele não se converteu pelo fato de ter morrido. Havia um abismo entre Lázaro e ele. Lázaro estava numa outra mentalidade espiritual e o rico estava numa mentalidade egoística. Ele não disse uma palavra que de arrependimento de suas maldades. Ele faz um pedido. Ele diz a Abraão:

-“Eu tenho cinco irmãos na terra, mande Lázaro para converter os meus cinco irmãos para que não venham parar aqui neste sofrimento em que eu estou”…

E lá de cima lhe veio a resposta:

-“Não pode ser, eles têm Moisés e os profetas, que os ouçam, não é preciso mandar um defunto redivivo para converter alguém. Nem que Lázaro fosse lá, eles não se iam converter”.

Não há possibilidade de adulterar as leis eternas. Toda a culpa atrai sofrimento, cedo ou tarde… Não precisa ser hoje. Isto é lei cósmica. Nós não podemos separar a culpa do sofrimento, ninguém pode… Não podemos modificar as leis cósmicas. O sofrimento é uma reação automática contra a nossa culpa. Nós não produzimos propriamente o sofrimento, ninguém gosta de sofrer, mas produzimos a causa. A causa do sofrimento é a culpa.  Nós colocamos a causa e os efeitos vão aparecer.  Não podemos separar a causa dos efeitos.

Bem, é possível não sofrer nada neste mundo e viver gozando, porque isto de 50 anos mais ou menos, não faz diferença. O certo é que as leis cósmicas não podem ser burladas por ninguém e a maior sabedoria é não ter culpa, porque toda vez que somos culpados duma transgressão às leis cósmicas, nós estamos em véspera de sofrimento. Fizemos a causa e a causa vai funcionar, cedo ou tarde.

Contato para adquirir a palestra completa: ihgomes@hotmail.com

6 responses to this post.

  1. Posted by Maria Lucia Matheus on 14/04/2013 at 15:53

    Os trechos desta palestra do prof. Rohden, mostram-nos quão profundamente ele tinha conhecimento sobre o plano astral como resultado imediato da vida no plano terreno e que há verdadeiros abismos vibratórios entre um plano e outro.
    Como complementação leiam “Sabedoria das Parábolas”,p.38 e “Jesus Nazareno” p.287 do nosso estimado prof. Rohden.
    Grata, Maria Lucia.

    Responder

    • Suponho que sabendo um pouco do que acontece depois da morte física, poderemos nos preparar melhor. E estes sábios ensinamentos aliados às nossas convicções nos ajudam muito.

      Responder

  2. Posted by JOÃO RICARDO PEREIRA on 14/04/2013 at 19:38

    IRIS NA SANTA PAZ I. SABER, VIVER E SER SÃO A MESMA COISA. MAS NINGUEM SABE DE FATO SENÃO AQUILO QUE ELE VIVE E NINGUEM PODE VIVER SENÃO AQUILO QUE ELE É. O REINO DE DEUS EXISTE POTENCIALMENTE EM TODA A CRIATURA HUMANA, E O HOMEM TEM DE CONSCIENTIZAR E DESENVOLVER ESTE REINO. GRATO PELA APOSTILA …”SE QUERES SER PERFEITO…” JOÃO

    Responder

    • É isso João. Em toda criatura humana Deus é… nunca devemos nos esquecer disto. E isto que devemos conscientizar em nós e na humanidade. Que o reino de Deus desperte em todos para haver um novo céu e uma nova terra como predisse o Apocalipse!…

      Responder

  3. Posted by sergio cavalini on 17/04/2013 at 20:30

    O verdadeiro mestre semeia e não colhe, para que outros que não semearam venham e colham seus frutos de sabedoria e bondade. Com certeza Huberto Rohden hoje exulta em júbilo no mundo astral, sabendo que tantas almas humanas encontraram um seguro caminho espiritual rumo às alturas, mesmo muitos anos depois da sua morte física.
    Esse querido guia de almas, que nunca julgou-se mestre de ninguém é um verdadeiro guru no sentido verdadeiro dessa palavra sânscrita: dissipador de trevas.

    Das baixadas da matéria nos o saudamos, amigo e mestre. Pronam!

    Responder

OBRIGADA A TODOS QUE VISITAM, LEEM E COMENTAM ESTE BLOG.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: