O QUE É ALVORADA

Aula dada no Centro de Autorrealização Alvorada de São Paulo, por Huberto Rohden em 23/05/78.

Colaboração do transcritor José Airton Barros de Araújo – de Santa Rita – PB

        Escute, a Alvorada existe no mundo inteiro, em todos os 05 continentes do globo, com outro nome, mas com a mesmíssima orientação, o mesmo espírito universal – isso é o que nós temos.

        Começou depois da primeira guerra mundial, depois da devastação da Europa pelo Kaiser e intensificou-se depois da 2ª guerra mundial, do Hitler, porque os povos europeus compreenderam pouco a pouco que nós precisamos criar uma mentalidade extrateológica, supra-eclesiástica, que não basta pertencer a esta ou aquela igreja cristã e é preciso de uma coisa muito mais universal para melhorar a mentalidade humana e a vida humana.

        Então se criaram em diversos países este movimento que não pertence a nenhuma igreja, que não pertence a nenhuma seita, que não se guia por nenhuma teologia propriamente, mas sim pela experiência direta de DEUS. Na Alemanha eu conheci muito este movimento durante quatro anos com o nome de Neugeist (Novo Espirito). É um grande movimento, um movimento de iniciativa maravilhosa. Na Inglaterra se chama New Outlook (Nova Perspectiva), é a mesma ideia, nos Estados Unidos se chama New Thinking (Novo Pensamento), mas é mais conhecido nos Estados Unidos como Self-Realization (Auto Realização). Esta palavra já veio da Índia e hoje inclusive nos Estados Unidos e nos outros países também. No Zen-Budismo do Japão também existe com o nome de Seicho No Ie (A Harmonia Universal). Mas infelizmente aqui no Brasil deturparam com pouco espírito do Japão como os outros, porque lá ele era rigorosamente místico, ético e vertical como as outras. Aqui recebeu um pouco de carater social em vez de um carater espiritual.       Eu introduzí este movimento no Brasil em 1952, quando eu voltei dos Estados Unidos, onde eu fazia parte da Self-Realization, estive três anos lá com a Self-Realizatiom de Washington, dirigida por um Swami Premananda e muitas vezes eu mesmo dirigia as reuniões. Quando  ele viajava, eu tinha que dirigir, então voltei do Estados Unidos em 1951  e em 1952, continuei aqui, este mesmo movimento mundial, que lá tem outros nomes, mas com o mesmo Espírito, introduzí aqui com o nome de Alvorada, completamente seria Alvorada da Consciência Cósmica ou Alvorada da Nova Humanidade.

        Oficicialmente a Alvorada está registrada como Instituição Cultural e Beneficente Alvorada, não lucrativa, isto é importante saber, porque nós não somos nenhuma sociedade comercial. Muitos confundem a Alvorada com a Fundação, um dos nossos alunos, o Claret, fundou uma casa editora para publicar os meus livros e outros congêneres e lhe deu o nome de Fundação Alvorada para o Livro Educacional, isto é uma casa editora, uma sociedade comercial, portanto, e a nossa Alvorada aqui, não é sociedade editora nem é sociedade comercial, nós somos exclusivamente, aqui, Centro de Autorrealização Alvorada, isto é para o nosso uso interno, Centro de Autorrealização Alvorada, oficialmente iniciada como Instituição Cultural e Beneficiente Alvorada.

        Nós não somos sociedade lucrativa, mas, como temos muitas despesas, temos as nossas propriedades rurais lá perto de Jundiaí com o sítio, com o Ashram, com a casa de meditação, e tudo isto que nos dá muitas despesas,cada ano: Imposto predial à prefeitura, luz elétrica, água, operários e muitos concertos e melhoramentos. Desde o ano passado temos isto aqui – eu dei o que era a minha casa antiga lá em baixo e dei também o meu terreno. E a Alvorada construíu aqui com contribuições espontâneas este salão em que estamos agora. Tudo isto é propriedade da Alvorada, quer dizer, temos o patrimônio rural da Alvorada lá fora que eu doei, que era meu antigo sítio e temos a propriedade urbana, aqui, que foi a minha antiga casa – que também doei para a Alvorada. Não vendí, doei, aqui não se vende.

        Bem, quer dizer, nós temos que manter as coisas que temos na Alvorada, tanto fora como dentro de São Paulo, por isso é que voçês pagam as aulas… vocês nao devem pensar que alguém seja pago. Na Alvorada tudo é de graça, todos os funcionários da Alvorada, Eu, o secretário, a secretária, o tesoureiro, conselho construtivo, todos trabalham inteiramente de graça.  Ninguém ganha um tostão, ninguém… todo o dinheiro vai para manutenção daquilo que já existe e para as despesas anuais que temos. As vossas contribuições para as aulas são para este fim, exclusivamente.

        A mesma coisa a venda dos livros, porque a Casa Editora que é a fundação, publica os meu livros (e outros livros) e dá uma porcentagem para a Alvorada para o Centro de Auto Realização Alvorada. Esta porcentagem que a Casa Editora dá é aquilo que nós,  vendemos os livros pelo mesmo preço das livrarias. Nós temos uma porcentagem para manter a nossa Alvorada. Por isso é conveniente não pedir descontos quando se compra os livros (risos dos alunos)… porque não é nosso o dinheiro, este dinheiro que voçês pagam pelos livros, não é de ninguém. Não é meu, não é de Dona Amélia, não é de ninguém – é para as obras da Alvorada. Por isso vendemos os livros pelo mesmo preço das livrarias e pelo mesmo preço da casa editora, mas com um pequeno lucro para as obras da Alvorada, isto é mais um parêntese.

        Bem, então em 1952 eu introduzí a Alvorada aqui em São Paulo e ela está ramificada por outras cidades, no Rio de Janeiro tem o seu Ashram também, em Porto Alegre também tem reuniões regulares de meditação e em muitas outras cidades, em Goiânia!!!, Onde eu ia regularmente tem um grande movimento da Alvorada, com meditação…. não tem casa de retiro mas vão fazer.

        Qual é o Espírito Central desta Alvorada mundial em qualquer país do mundo? É o mesmo Espírito, podemos dizer que consiste no Monismo Absoluto. Monismo quer dizer ´´Um só DEUS que se manifesta de vários modos´´, UNI E VERSO. Realmente Filosofia Univérsica, eles não usam esta palavra que eu inventei. Filosofia Univérsica, mas é a mesma coisa. É preciso ter conhecimento direto, imediato, experiêncial, de um Poder Supremo, porque isto é uma realidade inegável. Existe um Poder Supremo no universo, vocês podem chamar este Poder Supremo como quiserem, podem chamar DEUS, mas não pensarem que pode ser uma pessoa.

            A Alvorada não aceita DEUS como pessoa, que isto é teologia. Então recaímos na teologia e DEUS não pode ser pessoa, nem uma, nem três. Bem, DEUS é uma realidade, uma força, DEUS é uma inteligência, DEUS é uma Consciência Cósmica, DEUS pode ser chamado de A Vida Universal do Universo. Eu acho que a palavra VIDA seria uma ótima coisa para DEUS. A vida Universal do Cosmos que se manifesta nos seres-vivos, mas nós não podemos ver a vida, nós só podemos ver os seres-vivos que são emanações da Vida Universal.

        Então…, a Alvorada reconhece que há um Poder Supremo. Logo nós somos ateus, nós não negamos um Poder Supremo, nós aceitamos um Poder Supremo e invisível que dirige todos os destinos do universo, isto é, nós chamamos isto de monismo, não monoteísmo. As igrejas usam monoteísmo quando falam num deus pessoal. Os monoteístas sempre aceitam um deus pessoal. Todos monoteístas, muitas igrejas cristãs são monoteístas, todas, não são politeítas nem panteístas, são monoteístas… Um só deus. Mas nós não professamos propriamente monoteísmo, porque não aceitamos DEUS como uma pessoa, como um indivíduo. E os monoteístas entendem todos, que DEUS é uma pessoa. Naturalmente não uma pessoa humana, mas uma pessoa cósmica…

        Mas, mesmo isto as Alvoradas não aceitam em nenhum país do mundo; que DEUS seja uma pessoa. DEUS é uma Realidade Invisível, um Poder, uma Força, uma inteligência, uma Consciência, uma Vida Universal – isto nós entendemos por DEUS.  Melhor chamar DEUS a Divindade, porque DEUS é uma palavra, um substantivo masculino. E logo pensamos em pessoa, porque DEUS é um substantivo masculino – e logo pensamos em pessoa, o Pai.  Mas quando dizemos Divindade, que não é masculino nem feminino, mas Universal. A palavra Divindade é um substantivo mais completo, mas a palavra Deus é um substantivo concreto. De maneira, para o melhor seria, aceitarmos uma Divindade Universal, que tem muitos nomes entre os homens.

        Os Hindus chamam esta Divindade, Bramam, os chineses chamam esta Divindade Universal, Tao. Os antigos judeus chamavam e chamam hoje ainda esta Divindade Universal, Javé, e é assim em muitos outros. Os filósofos dizem: O Infinito, O Absoluto, O Eterno, O Universal – são expressões da filosofia de muitos países. Seja como for, o certo é que há uma Realidade, um Poder, uma Inteligência Cósmica, uma Consciência Cósmica, uma Vida Universal que dirige todos os destinos deste universo.

        Um grande pensador do século XVII, Benedito Spinoza, que é filho de pais portugueses, mas nasceu na Holanda (para todos os efeitos ele é holandês porque nasceu em Amsterdam, mas os pais eram portugueses que imigraram para a Holanda e falavam o português em casa). Nasceu Benedito Spinoza, que aos 24 anos, este grande pensador já conhecia todas as filosofias do mundo, orientais e ocidentais, antigas e modernas – era um gênio de primeira ordem, Benedito Spinoza. Mas ele era monista absoluto, afirmava que DEUS é a Alma do Universo e o Universo é o Corpo de DEUS. Como ele era judeu, a sinagoga de Amsterdam não tolerou isto, porque ela é monoteísta e não é monista.

         E como Spinoza era absoluto monista, que não aceita um deus pessoal, mas somente um Deus Universal, ele foi expulso, excomungado pela sinagoga de Amsterdam… Pois também a sinagoga excomungava. Excomungou e declarou que ele era herege e maldito. Benedito Spinoza, calmamente aceitou a excomunhão, era muito pobre. e continuou a ser monista como sempre. Não brigou com a sinagoga porque ele disse, “eles não sabem, eles não sabem essas coisas…” E desde então nós temos a maravilhosa definição que Espinoza deu de DEUS, “DEUS é a Alma do Universo… Este Universo visível é apenas o corpo de DEUS”. Chama DEUS a parte invisível do universo e chama o universo visível, o corpo de DEUS. Uma definição maravilhosa: a parte visível é o corpo de DEUS, tudo que nós podermos ver, ouvir e tanger. Tudo isto é como se fosse o corpo da Divindade e a própria Divindade, Spinoza chama de “A alma do Universo”. Isso é monismo, não é monoteísmo.

        É bom não confundir monismo com monoteísmo. O monismo aceita só uma essência que se manifesta em muitas existências. A essência é o que Spinoza chama Alma e as existências é o que ele chama de corpo. O que nós podemos ver, ouvir, tanger chama-se existências: existências materiais, existências vegetais, existências animais, existências humanas… tudo isto é existência.  Mas nós não podemos ver a essência, a essência é a realidade invisível, intangível, completamente impossível de perceber. Isso é a essência da Divindade, é a essência que está em todas as existências. Quer dizer, o Infinito está em todos os finitos, o invisível está em todas as coisas visíveis. O intangível está em todas as coisas tangíveis, isto é, a essência está presente em todas as existências… Isso nós chamamos monismo. Mono é a palavra grega para um, único.

        A única essência está na pluralidade das existências, esta é a ideia fundamental da Alvorada em todos os países. Não professam monoteísmo, porque devia aceitar DEUS como pessoa, o que é impossível. Também não professam ateísmo, negando que haja um poder supremo. Também não é panteísmo. Muitos nos acusam de sermos panteístas.

        Há pouco o grande sábio francês de quem já falei – Teilhard de Chardin, este grande cientista francês – escreveu muitos livros maravilhosos, e ele foi acusado pelos teólogos cristãos, de panteísta… Porque Teilhard de Chardin esteve 20 anos na China, lá do outro lado de Pequim, fazendo escavações geológicas e paleontológicas… Até descobrir um esqueleto humano, o Sinantropos, que era um pré-histórico.

        E quando ele voltou para a Europa, depois de 20 anos ter estado na China e ter se inteirado em toda filosofia oriental, ele foi chamado de panteísta. Porque Teilhard de Chardin disse que tinha encontrado DEUS por toda parte na China. Ele tinha encontrado DEUS nas pedras, tinha encontrado DEUS até nos esqueletos, debaixo da terra, tinha encontrado DEUS nos ossos, em tudo. Isso eles chamaram panteísmo. Nós chamamos isso, monismo, não é panteísmo – qual é a diferença entre monismo e panteísmo?

        Se nós identificássemos a existência com a essência, isto seria panteísmo, mas nenhum gênio faz isto. Nós dizemos que a essência se manifesta através das existências. O invisível se revela através do visível, mas o visível não é o invisível; apenas o invisível está presente em todos os níveis. Isso é o que nós chamamos monismo. Mas os que não sabem pensar direito confundem monismo com panteísmo e dizem que nós somos panteístas – porque não somos monoteístas, que aceitam Deus como pessoa. Mas também não dizemos “esta pedra é DEUS!”, isto é panteísmo, “ “este animal é DEUS’, isto ninguém pode dizer. Nós podemos dizer “nesta pedra está presente a essência de DEUS” – “Nesta planta está presente a essência Divina”, mas esta planta como existência não é DEUS… A existência não é DEUS, a existência é o corpo, e a essência é a Alma. A Alma da Divindade está em todos os corpos visíveis, e é preciso ter ideia clara sobre isto. De maneira que nós podemos dizer “O Infinito está presente em todos os finitos”, e todos os finitos estão no Infinito, isto é absolutamente certo.

        Se alguém leu a verdadeira biografia de Francisco de Assis, não aquela bagunça que fizeram ultimamente, falsificando a vida de Francisco de Assis, até no cinema. Mas a verdadeira vida de Francisco de Assis. Ele via DEUS em tudo, Ele tinha um dom especial de clarividência, de consciência cósmica. Via DEUS numa pedra e amava as pedras porque via a presença de DEUS nas pedras… Amava as flores e as plantas, porque ele via intuitivamente a presença da essência Divina em todas as existências materiais. Gostava dos animais, dos peixes, dos passarinhos, irmão lobo e até irmã lua, irmão sol… E assim por diante. Chamava a todos de irmãos e irmãs, porque ele sentia que éramos todos filhos da mesma Divindade. E se todos são filhos da mesma divindade, eu também sou filho da divindade, então todas as creaturas são meus irmãos, é claro. Somos uma grande família cósmica, cujo único Pai é o Infinito Invisível e nós somos todos irmãs e irmãos entre nós.

Nós podemos pensar isto, mas pra nós é um pensamento muito artificial, poético, talvez, mas para Francisco de Assis isto não fosse um pensamento poético. Isto era uma intuição cósmica que ele tinha. Ninguém sabe como ele chegou a isto desde jovem – que via DEUS em tudo. Mas ele não dizia que “Este passarinho é DEUS”, o irmão lobo é DEUS, o irmão sol é DEUS, a irmã lua é DEUS, não. Ele nunca caia no panteísmo, mas ele via o Invisível através de todo visível.

        Os nossos sentidos só percebem o visível, não podem perceber o Invisível. Mas quando nós vemos o visível e temos a intuição espiritual de que este visível não é apenas esta casquinha, esta periferia que eu vejo… Eu posso ver só as coisas visíveis, mas sentir e intuir que para além dessas casquinhas visíveis há uma realidade invisível que não é idêntica com a casca. É uma espécie de alma a presença de DEUS em todas as coisas. Então, em todas as coisas há o corpo que nós vemos, ouvimos e tangemos. Isso todo mundo pode ver pelos sentidos normais. Mas nem todos percebem a presença de um poder invisível que creou, fez produzir através de muitos canais esta coisa visível. Quando alguém percebe isto naturalmente, sem muito esforço, e sem fazer poesia, mas simplesmente como realidade… Isto é pura realidade – ver a Alma invisível da essência através de todos os corpos visíveis das existências…

        Esta ideia da Unicidade da Essência na pluralidade das existências… É bom, tomar mais ou menos estas palavras: a unidade e a Unicidade da Essência Divina na pluralidade de todas as existências: materiais, vegetais, animais, hominais – seja qual for a existência…. Seja do mundo mineral, seja do mundo vegetal, seja do mundo animal, seja do mundo hominal… São existências visíveis, audíveis e tangíveis. Nós podemos verificar pelos cincos sentidos (as existências) e podemos analisar pela mente as existências, mas nós não podemos ver, ouvir, tanger a Essência. Também não podemos analisar mentalmente a Essência de DEUS

        A Essência invisível que está nas existências visíveis não é possível atingir pelos sentidos, nem sequer pela inteligência. Se nós não ultrapassarmos os cincos sentidos e ultrapassarmos também a própria inteligência, nós nunca chegaremos até a Essência. A Essência é da Consciência Cósmica, as existências são tudo dos sentidos e da nossa mente. Portanto, aquele que nunca ultrapassou a sua consciência sensorial dos sentidos e sua consciência mental da inteligência não sabe nada da Essência divina. Ele pode crer numa essência divina como as igrejas exigem. As igrejas se contentam com o crer, as igrejas realmente não exigem que se tenha a experiência de DEUS. Exigem que a gente creia em Deus. Você aceite que há um Deus, chega.

        Mas nós não estamos dentro de nenhuma igreja. Nós não somos contra nenhuma igreja. Nenhuma Alvorada em nenhum país do mundo é contra nenhuma igreja. Mas também não são pró. Nem pró, nem contra. Onde é que estão as Alvoradas? Estão além de qualquer teologia. Além de qualquer igreja. Por isto na Alvorada de qualquer país do mundo podem vir cristãos, pagãos, judeus, mulçumanos, isto não faz diferença nenhuma. Porque nós não fazemos cristianismo, nem paganismo, nem judaísmo, nem islamismo. Não somos nem pró nem contra nada disto. Nós estamos além de qualquer ismo. A Alvorada nunca pode ser um ismo. Porque ismo pode ser uma seita. Qualquer espécie de seita é um ismo. Acaba tudo em ismo. Mas quando se tem uma experiência direta, imediata da realidade divina, da essência…, não através dos sentidos, nem através da inteligência, nem através de uma crença teológica, mas pela intuição da própria realidade… Então está no coração da Alvorada, ou em qualquer movimento congênere com outras palavras que ensinam a mesma coisa.

        De maneira que a Alvorada exige, ou quer que toda pessoa que acompanhe o movimento, cedo ou tarde chegue a ter uma experiência direta e imediata de Deus… Não através dos sentidos, que é impossível, nem através da inteligência que também é impossível, nem através de uma boa fé duma crença que isto pode ser que seja Deus, mas não é uma experiência direta de Deus.

        O crente que apenas crê em Deus faz muito bem. Se não pode fazer mais do que crer em Deus, contente-se com isto. Mas pouco a pouco tem que ir além da crença. A crença não é última, é uma coisa penúltima. Quem não pode ir além da crença, fica dentro da sua crença. É melhor ser crente do que descrente. E se alguém não é capaz de ultrapassar a sua crença teológica da sua igreja, então fique lá onde se sente bem. Fica dentro do seu nível de evolução. Está no nível de evolução da crença (e muitos estão – o grosso da humanidade) – alguns estão na descrença que é pior. Mas os cristãos estão geralmente numa crença em Deus.

        Eles chamam isto fé – geralmente não é fé, é outra coisa. Fé já é experiência de Deus. Mas eles confundem crer com ter fé. Crer é um ato de boa vontade – crer em Deus. Ter fé é ter experiência de Deus. Fé em latim fides – quer dizer fidelidade, alta fidelidade, alta harmonia, alta sintonização da minha consciência com a consciência divina – isto é fé. Nós não devíamos confundir crença com fé, mas todo o mundo faz. Crer em Deus não é suficiente, é preciso ter fé em Deus. Se eu tenho fé em Deus eu sintonizo em alta fidelidade a minha consciência humana com a própria consciência divina. Fides em latim é o radical de fidelidade. E fé em português vem de fides. Estabelecer uma harmonia de alta fidelidade entre a minha alma e o espírito de Deus, isto seria fé. Mas é muito mais do que crença. Crença é uma coisa muito provisória. A fé nos salva, mas não a crença propriamente. Dizem: “quem crê será salvo, quem não crê será condenado”. Isto não está no Evangelho. No Evangelho está: “quem tiver fé este é salvo, mas quem não tiver fé, este não é salvo”. Mas eles traduzem crer em vez de ter fé.

         De maneira que na Alvorada nós não insistimos em que alguém creia em Deus.  Também não aconselhamos que descreiam em Deus. Nem que creiam, nem que descreiam. Nós exigimos muito mais do que qualquer teologia exige. Exigimos que alguém tenha experiência direta e imediata entre sua alma humana e o espírito de Deus. Que estabeleça um traço de união que lance uma ponte entre sua consciência humana e a consciência divina. Isto é a última palavra na evolução espiritual da humanidade.

        Os grandes místicos tinham isto. Buda sabia por experiência própria o que era Deus. Mahatma Gandhi fala em Deus como quem sabe o que é Deus e não quem crê em Deus. E, sobretudo Jesus, o Cristo. “Nós sabemos o que dizemos” diz, “e damos testemunho daquilo que vimos, e vós não tendes fé” Há uma censura que ele faz seus discípulos. Nós, ele, sabemos o que dizemos… Ele nunca disse que ele cria em Deus. Ele nunca usou a palavra crer. Ele não era um crente, ele era um sapiente. Ele sabia por experiência íntima o que era Deus que ele chama Pai. A divindade ele sempre chama Pai. E nós damos testemunho daquilo que vimos, naturalmente não com os olhos do corpo, mas com os olhos da alma.  São os grandes místicos, os grandes iniciados que sempre existiram desde o princípio do mundo.

        Não é novidade. Desde que a humanidade existe, existiram certas pessoas avançadas na evolução espiritual que sabiam pela visão espiritual da sua alma… Não pela visão corporal, que é impossível, mas por uma intuição ou por uma consciência cósmica. Sabiam por experiência o que era Deus.  E quando alguém sabe o que é Deus, está definitivamente salvo. Nunca mais pode não saber. Quem hoje sabe por experiência, amanhã pode não sabe por falta de experiência. O que nós cremos, nós podemos descrer amanhã. Os crentes de hoje podem ser descrentes amanhã. Também vice-versa. O descrente pode ser um crente. Há ida e volta para a crença. Para a experiência não há ida e volta.

        Vocês só podem ir para a experiência, mas não podem voltar da experiência para a inexperiência. Se alguém sabe por intuição imediata o que é Deus, ele sabe por toda eternidade. Nunca mais pode ignorar o que é Deus. Isto é experiência direta e imediata. É o grau mais alto da evolução humana que alguns tinham e que pouco a pouco toda humanidade deveria ter. Não apenas falar em Deus, não fazer discurso sobre Deus, não escrever coisas bonitas sobre Deus. Não só pensar em Deus. Não apenas crer em Deus. Tudo isto é provisório, é jardim da infância, ou escola primária. Mas, se alguém ultrapassou todo jardim da infância, e todas as escolas primárias e secundárias e entrou na Universidade do espírito, então ele sabe com absoluta certeza, tão certo como 2 e 2 são 4, que Deus é uma realidade e que está presente em toda parte. Não existe nenhum lugar no céu e na terra onde Deus não esteja presente. A onipresença de Deus é absolutamente certa.

        Nós não temos consciência desta presença de Deus, mas quando alguém tem consciência da presença de Deus, então ele entrou no último estágio da sua evolução. Ele sabe por experiência ou por consciência própria que Deus é uma realidade, ele está por toda parte e que ele agora conscientizou. Conscientizar a presença de Deus é a coisa mais elevada que existe.

        Leiam aquele livro: “A Arte de Curar pelo Espírito”. O autor (Goldsmith) tinha a consciência da presença de Deus. Ninguém pode escrever assim como ele escreve que não tenha experiência direta da presença de Deus. E ele curava as doenças através da consciência da presença de Deus. Não é a presença de Deus que nos cura, senão não haveria doenças porque Deus está em toda parte. Dentro da presença de Deus podemos morrer de qualquer doença porque a presença de Deus é um fato universal. Agora se alguém adquire a consciência da presença de Deus, isto é outra coisa. Poucos adquirem. Poucos na humanidade atual têm a consciência nítida da presença de Deus nele… Que Deus está nele e que ele está em Deus e que Deus está por toda parte. Este é o grau mais alto da evolução.

        Isto é o fim supremo da Alvorada em qualquer país do mundo: chegar até à experiência imediata da consciência direta da divindade. Por isso é que nós fazemos meditação. (Toda 2ª feira à noite nós fazemos meditação em profundo silêncio aqui). Porque durante a meditação nós eliminamos os sentidos, eliminamos os pensamentos, eliminamos até a vontade e a crença; isolamos-nos no espírito de nossa própria alma. E como nossa alma pode ver Deus, então podemos ter certeza de Deus. Se conseguirmos sintonizar perfeitamente o nosso espírito humano, a nossa alma com o espírito de Deus, então nós sabemos com absoluta certeza o que é Deus. Por isto é que fazemos meditação aqui. A coisa mais importante da Alvorada é a meditação. As aulas são necessárias para orientar, mas a última palavra é sempre experiência pela meditação. E os que fazem corretamente a meditação chegam cedo ou tarde a uma verdadeira experiência de Deus. E quem chegou a uma experiência de Deus modifica toda a sua vida para melhor. Se alguém tem experiência de Deus não pode mais mentir, odiar, matar alguém, defraudar, enganar os outros, porque tudo isto é incompatível com a consciência da presença de Deus. Mas quem não tem nenhuma consciência da presença de Deus pode fazer tudo isto.

        De maneira que é importante a experiência pelo menos uma vez na vida. Paulo de Tarso diz que ele foi arrebatado ao 3º céu. Isto é a experiência de Deus que ele chama o 3º céu. E daí por diante mudou toda a vida dele. 30 anos de vida subsequentes foram mudados por uns momentos, talvez uns segundos de experiência de Deus. Porque aí não precisa de muito tempo – basta a fração de 1 segundo para mudar completamente a vida inteira para melhor, em todo sentido… Porque quem tem certeza da presença de Deus tem felicidade, tem tranquilidade, não tem mais problemas espirituais… Todo problema acaba com a experiência de Deus.

        Isto é o fim supremo da nossa Alvorada. É um fim longínquo, nós estamos apenas começando o ABC, mas é bom começar a soletrar o ABC. Não faz mal que esteja ainda no A ou no B ou no C. ninguém pode entrar na universidade do espírito sem ter feito a escola primária do ABC. E nós temos de entrar cedo ou tarde na universidade da experiência de Deus que chamamos universidade do espírito. Mas, os primeiros passos são o ABC.

        Se alguém quiser fazer uma viagem de 100 km tem que dar o 1º passo.   Ele não pode começar com 100 km. Uma viagem de 100 km começou com um passo, mais ou menos meio metro. Se ele não quiser dar o 1º passo ele não pode dar o 2º, nem o 3º, nem o milésimo, nem o bilionésimo. Toda evolução começa com o ABC. E não faz mal que comecemos com o ABC. Ninguém pode começar com a universidade. Tem que ser com o pré- primário… O principal não é terminar a jornada. O principal é não desviar do curso certo. Traçando uma linha evolutiva neste sentido, permanecer na direção certa.

Alguns me perguntam: quando é que eu vou chegar à consciência cósmica? Respondo: não tenha pressa de chegar, não precisa chegar. O importante não é chegar, o principal é continuar a jornada em sentido certo. Não desviar da linha reta. Continuar em linha reta, evitar qualquer zigue-zague fora da linha reta. Nada de zigue-zague para a direita e para a esquerda. Mas, vá adiante   em linha reta. Cedo ou tarde você chegará aonde quer chegar…  Aliás, não chegará propriamente ao fim certo, porque a vida eterna não é uma chegada é uma jornada. É andar na direção certa rumo ao infinito. Muitos pensam que a vida eterna seja uma chegada definitiva, uma aposentadoria celeste. Vamos deitar num sofá e descansarmos de todos os trabalhos terrestres. Não existe aposentadoria celeste. Existe uma eterna jornada rumo ao infinito.

        Mas a matemática diz: todo finito em demanda do infinito está sempre a uma distância infinita. Isso desanima muita gente, mas não é motivo para desanimar. Chegar é um egoísmo muito barato. Eu não preciso chegar, eu tenho que jornadear, viajar sempre na mesma direção. Quer esteja perto, quer esteja longe do fim, não faz mal. Não há nenhum fim. A evolução é uma sinfonia inacabada. Isto, todos podem fazer dentro da Alvorada que funciona aqui em São Paulo. E se alguém vos pergunta o que é Alvorada não digam: é uma igreja, uma teologia, uma seita, uma nova filosofia. A Alvorada existiu desde que a humanidade existe. Porque sempre houve pessoas que queriam conhecer diretamente a Deus. E muitos chegaram até este fim.

        De maneira que nós não somos nenhuma igreja, nenhuma teologia, nenhuma seita, não somos pró-igreja nenhuma. Nós não somos contra igreja alguma. Nós não somos do paganismo, não somos propriamente do cristianismo teológico, não somos do judaísmo, não somos do islamismo nem nada. Por isso nós não temos manual. Todos têm um manual ou livro de texto. Nós não temos. Nem a Bíblia é nosso livro de texto. Nem o Evangelho, nem a Bhagavad Gita, nem o Tao Te King são nossos livros de texto. Nós usamos tudo isto, porque lá falam pessoas que já tinham experiência de Deus. Na Bíblia muitos falam que tinham experiência de Deus, Jesus e alguns de seus discípulos tinham experiência de Deus. Na Bhagavad Gita fala alguém que tinha experiência de Deus. No Tao Te king – Lao Tse tinha experiência de Deus. Por isso é bom usar estes livros. Mas não são manuais de texto. Nós não seguimos um livro só. Nós usamos qualquer livro de grandes iniciados. Antes ou depois de Cristo tiveram grandes iniciados – e aproveitamos do que eles disseram ou escreveram. A maior parte não escreveu nada, mas apenas falaram, alguns escreveram.

Observação: para reativar a Instituição Alvorada valemo-nos da experiência de Huberto Rohden, mas adquiramos a nossa experiência.

32 responses to this post.

  1. Muitíssima oportuna esta mensagem! Esclarecedora, sintetiza uma meta, o objetivo mais valioso. Muito obrigado ao José Airtom Barros de Araújo e a você pela belíssima mensagem.

    Responder

  2. tenho lido e analizado a sua obra. Estou em busca de auto conhecimento ha muitos anos

    Responder

  3. Posted by Francisco on 14/04/2013 at 21:54

    Boa Noite.
    Solicito o telefone de contato do Instituto Alvorada em São Paulo

    Responder

    • Francisco, a instituição Alvorada de São Paulo, fundada pelo professor Huberto Rohden está inativa.
      Quem é responsável pela reativação é o Sr. Martin Claret, que foi aluno e é o editor.
      Se tiver interesse, agende uma entrevista com ele na editora. O endereço e telefone estão nos livros.
      Se você é de São Paulo e quer melhores informações escreva-me para ihgomes@hotmail.com

      Responder

      • Posted by Lucila on 03/01/2016 at 18:58

        Olá, boa tarde! Gostaria de saber se há grupo de estudos sobre Huberto Rohden na cidade de Campinas. Grata.!

    • Posted by jose miguel on 07/09/2013 at 19:50

      tudo bem mas qual o end. de sao paulo ou o tel

      Responder

  4. Posted by Viana Cabral on 04/12/2013 at 17:23

    Boa tarde!! Que a paz esteja com voces!!
    Comecei lendo o livro Sabedoria das Parabolas do Huberto Rohden, li por 5 vezes até hoje e só compreendi e me tornei um iniciado na terceira leitura, pois como diz o Huberto, a porta é estreita e o caminho é apertado para se chegar no Reino de Deus e se tornar um iniciado.
    Para quem não teve experiencias e conhecimentos a respeito fica mais dificil chegar la, mas não desisti e nem fui com um copo pegar a agua do mar da sabedoria contida nos seus livros, abri meus canais espirituais e deixei fluir toda a sabedoria e experiencias que esse divino Professor me fez intuir e entender.
    Gostaria muito de me sentar e conversar com alguem que se considere um iniciado, para trocar idéias a respeito de toda essa informação.
    Leiam e não parem de ler os livros do Prof. Huberto até que encontrem a Verdade sobre si mesmos.
    Eu sou o Caminho , a Verdade, a Vida (Jesus).
    Conhecereis a Verdade, e a Verdade vos Libertará (Jesus).
    Um grande abraço a todos,

    Cabral

    Responder

    • Olá Cabral, seja bem vindo ao nosso círculo de amigos iniciados na caminhada indicada por Rohden. Se você for de São Paulo há a possibilidade de conversarmos pessoalmente. Se for do Rio de Janeiro pode frequentar as reuniões lá. Escreva-me: ihgomes@hotmail.com

      Responder

  5. Posted by sakae on 27/02/2014 at 23:50

    Desde a minha adolescência tive interesse por assuntos espirituais. Comecei lendo livros do Logsang Rampa ,ao qual posteriormente descobri que e´ tudo ficção . Mas foi positivo porque depois descobri a filosofia iogue, a vedanta , o budismo , que me deram os embasamentos para entender o que o professor Rodhen prega nas suas obras. Na verdade li somente o bhagavad gita comentado pelo professor. Digo que entendo sua filosofia porque bate com as minhas convicções e meus entendimentos. Chegei a participar de algumas sessões na fundação alvorada nos anos 80. Naõ sabia que hoje está desativada. Gostaria de saber também onde está o professor Pflug (naõ me lembro se escreve-se assim) de yoga aluno do Rodhen.

    Responder

    • Sakae, são vários os caminhos guiados por Deus para a autorrealização. Então você foi uma das pessoas que conheceu Rohden pessoalmente? A instituição está desativada em São Paulo, mas muito viva naqueles que leem e praticam seus ensinamentos. Este professor Pflug, eu não conheço. Acho que você se enganou no nome. Será que não é Pedro… ? Explique-me melhor por e mail. Abç

      Responder

      • Sou editor da revista Em Condominios http://www.emcondominios.com.br. Redescobri o professor Rohden depois de 50 anos.Gostaria de agendar uma visita com o Sr.Martin Claret com o intuito de uma parceria entre as duas editoras para divulgacao das obras do professor Rohden.

      • Amigo, para agendar visita ao Sr. Claret é preciso ligar para o telefone da editora: (11) 3672-8144. Ou então comparecer pessoalmente à Rua Alegrete,62 – Sumaré. Se tiver sorte pode encontrá-lo lá depois das 10h.

  6. Posted by Marcelo on 05/12/2014 at 9:44

    Um texto muito sábio e que vai ao encontro de minhas leituras prediletas, filosofia/ciência/mecânica quântica. Indico um livro do professor que estou lendo (EINSTEIN – O ENIGMA DO UNIVERSO da editora Martin Claret. sou do RJ, vou entrar em contato por email. “há as coisas como as vemos e há as coisas como elas realmente são” Immanuel Kant

    obrigado,
    Marcelo

    Responder

    • Parabéns Marcelo pela escolha. Realmente o livro “Einstein, o enigma do Universo” aborda o lado místico do grande físico. E Rohden pôde trocar ideias com ele nos encontros na Universidade onde estiveram juntos em USA. Parabéns! Conheça a Alvorada do Estado do Rio de Janeiro!

      Responder

  7. Posted by Jairo Conceição de Lima on 07/12/2014 at 21:10

    Resido em Sorocaba/SP atualmente, como fazer para iniciar estudos das obras do professor Rohden, em algum grupo mais próximo?

    Responder

  8. Posted by adriana on 10/12/2014 at 17:13

    há muitos anos estive em Jundiaí e a “casa de pedra”erguida pelo pp Rohden é uma lembrança muito querida.estou em florianópolis, capital; há grupo de estudo aqui ou qq outro “evento”?grata

    Responder

    • Olá Adriana… Seria preciso reconstruir o “Santuário do Silêncio” – a casa de pedras como você diz. Mas, onde estão os construtores? Não há grupo de estudo de Rohden aí em Florianópolis. Fica registrado aqui seu interesse para que outros interessados queiram formar um grupo.

      Responder

  9. Posted by adriana on 25/12/2014 at 12:45

    disse reconstruir…poderia saber o histórico do lugar de lá p cá?é um lugar muito significativo p mim e ando pensando em rever, quando estiver em sp…será possível?mesmo “desconstruído”?

    Responder

  10. Para ir ver o lugar é preciso agendar com o Sr. Claret. É possível sim.

    Responder

  11. Posted by João Paulo Santana on 31/08/2015 at 14:49

    Gostaria de conhecer mais pessoas que seguém a filosofia de hoden.
    Para debates e reuniões.
    Aqui em São Paulo tem algum grupo proximo que eu possa estar entrando em contato?
    Também queria saber onde tem sede da alvorada ativa proxima daqui.

    Responder

    • João Paulo, você deu uma ótima ideia. Poderia sim ter um grupo da Alvorada em cada bairro de São Paulo e também em cada cidade. Rohden viveu mais de 30 anos aqui em São Paulo, deu muitas palestras. Aqui ele editou a maioria dos livros. Aqui ele fundou a Alvorada. Estranho é que nem a sede da Alvorada aqui no Sumaré está ativa. Fica a sugestão para quem quiser formar um grupo para debates e reuniões, contatar com o João Paulo Santana. Deixe aqui o seu e-mail. O meu é ihgomes@hotmail.com

      Responder

  12. Posted by Cesar Senna on 12/10/2015 at 19:36

    Sou leitor assíduo dos livros do Mestre Humberto Rhoden e gostaria de saber se existe uma Unidade( filial), do Movimento Mundial Alvorada na minha cidade, Salvador/Ba?
    Se negativo, como posso iniciar uma Unidade física aqui?

    Obrigado!

    Cesar Senna
    cesarsenna61@gmail.com

    Responder

    • Cesar, com certeza você tem no Professor Huberto Rohden alguém que lhe inspira. Lamento informar que em Salvador não há um grupo Alvorada. seria uma boa ideia formar um. Fica aqui registrado este seu comentário para que alguém da sua terra entre em contato com você. Pode ser o começo de uma grande realização. Fico feliz em saber de você e de seu interesse. Disponha: ihgomes@hotmail.com

      Responder

  13. Em são Paulo qual o endereço?

    Responder

  14. Posted by D. J. Pereira on 02/04/2017 at 11:10

    Bom dia!!!

    Por favor, onde encontrar grupo em Goiânia, GO. Grato, DJPereira

    Responder

  15. O antigo grupo de Goiânia também está inativo. Quem sabe você Dimas possa reativar.

    Responder

  16. Posted by Sergio Cavalini on 11/04/2017 at 0:30

    Nosso grupo Alvorada de Sorocaba está em atividade desde 2010, com estudos e meditação todas as segundas-feiras.
    Contato – Sérgio Cavalini
    11-98278-8175

    Responder

  17. Quem mora em Sorocaba faça parte deste grupo.

    Responder

  18. Posted by Valeria Ferreira Costa Vilella on 02/09/2017 at 21:44

    Sou leitora do Professor Huberto Rohden. Me interessei por ele devido a seu prefácio
    do livro A arte de curar pelo espirito. Através dos ensinamentos de seus livros muitas
    coisas ficaram mais claras em meu caminho. Sem dúvida, um dos maiores brasileiros
    e indevidamente escondido do grande público. Moro em Fortaleza, se alguém tiver interesse em compartilhar e discutir os ensinamentos do professor deixo o meu email.
    lella.100@hotmail.com

    Responder

OBRIGADA A TODOS QUE VISITAM, LEEM E COMENTAM ESTE BLOG.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: